quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Explicações


Boa noite.

Venho por meio deste post explicar a assinatura desconhecida que passou a possuir este bolg. Este pequeno espaço foi por mim criado, há alguns meses atrás, no sentido de satisfazer a carência feminina (lê-se: das minhas amigas e minha) por um lugar onde pudéssemos expor nossas opiniões, distorcidas ou não, sobre quaisquer que fossem os assuntos.

Para tanto, criei o blog e, privando pela liberdade, escondemo-nos atrás de pseudônimos bastante criativos, posso dizer. Inspiradas por uma onda travesti, influência que levamos no coração e tatuada em nossas personalidades, escolhemos nomes bizarros que nos acompanharam até hoje.

Não quero, com minha saída do armário, obrigar ninguém a fazer o mesmo. Na verdade, foi uma forma de divulgar mais o que tenho feito aqui dentro. Divulgar o que tenho tentado fazer aqui no Clube do Camba.

Por isso, achei conveniente revelar minha verdadeira identidade. Meu nome é Marina Pavelosk Migliacci. Meu primeiro nome provém da parte russa da família (talvez polonesa. Essas histórias de miseráveis que fogem para o Brasil com medo de algum coisa além-mar, só causam confusão nas gerações seguintes que gostariam de ter certeza de suas origens.) O segundo, como é notável, é italiano. Aquela raça de homens redundantes. O italiano é conhecido por sua beleza, charme, delicioso perfume, cultura e gentileza. Aqueles que descendem ou são italianos, são conhecidos por mulheres de alta cultura como homens redundância. Exemplo disso, Contardo Calligaris. Quem não o conhece, visite semanalmente sua coluna na folha, às quintas-feiras.

Uma pequena digressão para voltar ao assunto deste singelo post. Então, sou estudante de Letras (3º obscuro ano) e trabalho na rede mundial de computadores, também conhecida como a grande teia.

Mais detalhes sobre a minha vida é só dar uma rápida olhada pelos posts antigos e acompanhar os futuros.

Agradeço a compreensão. Continuem comentando.
Mari

5 comentários:

pekena disse...

isso mesmo...saia do armário!

Paula disse...

Acho digno sair do armáriooo!!

(Adorei a parte da família q fugiu da Polônia num passado distante =))

Mari, vc escreve mto bem, tava mais do que na hora de começar a assinar!! hehe

Beijosmeligasempre!!

Anônimo disse...

Sair do armário tudo bem, mas esse negócio de Italianos gentis e coisa e tal, mari? Cá entre nós...você é bem gentil, mas, que fama é essa que não conheço.
Feliz de você que pode sair do armário e dizer quem é, sinal que sabe quem é, que a denominação ao nascer tenha de certa forma lhe conformado em ser...Bjsmedisca.

Marcia disse...

A sua capacidade de expressar em palavras o que te vai na alma não é novidade nenhuma pra mim.É delicioso ler suas histórias, apesar da tristeza escondida em cada palavra. Mas tenho certeza que essa sombra irá desaparecer assim que você sair desse ciclo de espera. Torço muito pra que isso aconteça logo. As vezes basta querer! Mude de canal! Reaja!!!
Com muito orgulho e muito amor
Om Shakti Om

Leandro disse...

Marinoca!!

Visitei seu blog assim que você o criou, quando ele ainda era, digamos, uma válvula de escape para as aflições contemporâneas da jovem mulher pós-moderna (ou o contrário... rs...), o que poderia se resumir a histórias onde nós, homens contemporâneos na era pós moderna, seríamos massacrados impiedosamente, quando fôssemos as vítimas do "camba" ou seus algozes. Então recebi seu recente convite para visitar o blog novamente, e fiquei impressionado com sua mudança.

Cumprindo sua função inicial de receber estes desabafos, com sua "saída do armário" ele passou então a receber posts, ainda tão bem escritos quanto os primeiros, senão melhores, mas que agora partem de outra Mari. Ou que talvez agora partam DA Mari. A que já vinha antes, e a que vai ficar.

De qualquer forma, está ótimo! Parabéns!

Beijão