terça-feira, 18 de setembro de 2007

A Arte de Dar Cigarros


Quem foi o fumante que nunca se encontrou desprovido desta substância que acompanha e consola os momentos duros e as bad trips da vida? E que neste momentos de desespero e desconsolo, já não tentou encontrar um bom samaritano e também fumante que pudesse fazer a gentileza de fornecer um cigarro para saciar suas necesidades psicológicas e fisiológicas?

Mesmo encontrando estes renegados sociais aos montes em todas as esquinas, neste mundo movido e guiado pela pseudo-geração saúde, ao pedir gentilmente pelo tão desejado objeto, somos tratados com certo desdém.

Às vezes o desdém pode ser ignorado pela satisfação de se conseguir o objeto, mas normalmente é lembrado, também com desdém, afinal por sermos excluídos do ideal contemporâneo, deveríamos nos unir a nos amar. RSRSRSRS.
Já me disseram que eu dou cigarros sorrindo. Bonito. Doar cigarros é uma arte inata, mas pode ser adquirida e aperfeiçoada com esforço e dedicação.

Já que vai dar um cigarro, dê sorrindo e linda (o). Vão lembrar de você com um carinho especial. Você pode ter ajudado a melhorar o dia de merda de um pessoa.

3 comentários:

Mariazinha: disse...

Hmmm... Não queria fazer a comentarista chata, mas não posso evitar: não gosto da Frida fumante. Pronto, falei.

Mas o texto é muito bom, adorei!! Realmente existe uma solidariedade entre os fumantes, mesmo q às vezes alguns façam cara feia... é interessante isso.. =)

Beijosmeliga!!

Anônimo disse...

Também não gosto da Frida fumante. Pronto. Falei também! Nem sorrindo, nem triste, nem gentil. Para de fumar linda!

mirnamigliacci disse...

Ahahahaha!!! Adorei essa. Nunca tinha pensado nisso...e também nunca doei um cigarro com um sorriso. Sempre acho que é obrigação total do fumante se prover do seu vício. Mas....ás vezes erramos a conta e aí, o que tem pedir ou dar com um sorriso tamanho consolo???
Bjks, Mirna.