domingo, 16 de setembro de 2007

Insatisfeito? Entre na fila



Tenho, há bastante tempo, escutado pessoas próximas e também não muito próximas reclamando do trabalho, da vida amorosa (este bolg, por exemplo), da família, da cidade enlouquecedora, da faculdade, das dificuldades e de todo o resto. A reclamação vem sempre seguida de uma ponta de esperança, já que tudo é uma fase.

Desculpe, a insatisfação não é uma fase. É uma constatação. Abrimos os olhos para o mundo e vemos o quanto tudo é cinza, esquisito, injusto ou quando é bom, gostoso e nos faz bem, passageiro.

Sempre há alguma coisa que nos faz perder a calma, que nos faz esquecer de todo o resto e concentrar para achar um outro caminho, uma solução ou mesmo uma forma de enganarmos a nós mesmo, para que tudo 'volte a ser como era antes', pelo amor de Deus. Mas 'como era antes' era também marcado por uma outra preocupação, insatisfação, ambição.

Meus últimos textos, bastantes azedos (aí não só os últimos), têm mostrado uma incerteza e angústia que tenho tentado aprender a lidar. Uma crise, não de identidade, mas algo até que parecido com isso, mas quase o oposto. A insatisfação, diferente da crise de identidade, vem com a certeza daquilo que ansiamos, mas não podemos ou estamos empacados para alcançar.

A insatisfação é uma conseqüência da formação completa do indivíduo, já que esse se vê impotente para chegar onde deseja. Vêm da constatação da impossibilidade de vida justa numa sociedade e num mundo marcado por necessidades e não desejos. Vivemos para satisfazer nossas necessidades imediatas e não para satisfazer nossos desejos alimentados durante tempos.

Apesar disso, a cada dia que passa tentamos alimentar novos desejos e sonhos e dividir a energia depositada neste que não foi satisfeito e começamos tudo de novo. Apesar deste texto, alimento meus desejos com a mesma intensidade que penso neles com desconfiança.

Apesar da insatisfação, me satisfaço em saber que isso tudo provém de minhas certezas. Pelo menos de alguma coisa eu tenho certeza - daquilo que quero. Se vou conseguir, já são outros quinhetos.

Tá insatisfeito? Entre na fila. Welcome.

3 comentários:

Mariazinha: disse...

Ando insatisfeita, mas decidi q não vou entrar na fila e sim puxar a fila! A fila das coisas que quero fazer, das pessoas que ainda vou conhecer, dos pensamentos que ainda posso e vou ter, a fila dos objetivos a serem alcançados.
Bora puxar a fila!!

Beijosmeliga!

Cintia disse...

A insatisfação tem sido algo constante para todos, as frases de esperança são reais, o triste será qdo todos ficarem somente com a insatisfação.
escrevendo cada vez melhor, hein?
adoro.
beijos

Sahmany disse...

COM LICENÇA?
Tô entrando na fila tb! Posso?
Abraço