sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Conspiração Universal - parte IV

Ele tinha um passado com o qual lidar - uma ex-mulher e dois filhos. Ela era 20 anos mais nova do que ele. Escolhia a blusa, verde ou vinho? Queria usar aquela branca com rendinha. Saia parecia uma boa opção até começar a chover de novo. Não. A calça de veludinho vinho, a blusa branca de rendinha. Ia de tênis? Sapatilha, já que ele era um homem, ela não queria ir com cara de menina.

Calça jeans, camiseta branca e ia ficar descalço. Não tinha a menor idéia do que colocar nos pés e resolveu não se preocupar com isso. O molho estava quase pronto, a chuva castigava a janela e ele acendia abajures no lugar daquela luz fria da sala. Alguns livros jogados na mesa de centro, nenhuma paciência para lê-los.

Linda, cabelos jogados e despenteados. A boca vermelha que havia conversado com ele no café e uma garrafa de vinho. Não conhecia muito safras, tipos, mas decidiu-se por um, após longa pesquisa pelo supermercado próximo a casa dele.

Copos, goles, risadas, sorrisos encabulados, cigarros, fumaça, escutavam Etta James. Ele escolheu a música preferida dela.

At last, my love has come along
my lonely days are over
and life is like a song

And the skies above were blue, she had a dream to call her own. And he smiled, they were in heaven and she was his, at last.

3 comentários:

Paula Oliveira disse...

Cenário e trilha sonora perfeitamente ajustados, detalhes de cena bem dispostos... agora é com os dois protagonistas...
E que a conspiração continue!

alcides disse...

vc está cada vez pior *awesome*, uma coisa cinematografica; cortazariana, cheio de tudo com aÇucar e com afeto, lindo, linda!

Dessa disse...

mais uma vez, trilha sonora liiinda, casando com o conto...a mente da gente voa, imaginando cada cena e o som da chuva...parabéns!