terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Ofegante Epidemia

Era uma ansiedade muito grande para voltar ao lugar onde eu passei o melhor carnaval da minha vida. Muita vontade de degustar todas aquelas garrafinhas de pinga com mel. Tanta vontade de ver aquela ofegante epidemia de marchinhas, blocos, espontaneidade e alegria sem tamanho.



Tudo isso ainda com o plus de uma das pousadas mais fofas e delícias dos últimos tempos. Tomar banho em chuveiro quentinho, dormir numa caminha tudo, toalhas trocadas, piscina para curar a ressaca e café da manhã com bolinhos, queijo e cigarros - não tem preço. Até teve o seu preço...mas foi bem baratinho. :)



Esse carnaval foi todo cheio de sinais, de conversas surreais, um monte de gente, um monte de situações. Sempre é, mas esse parecia que tinha sido preparado para nossas neuras, ilusões e desilusões. Ao contrário do próposito do carnaval, pensei bastante enquanto chegava e enquanto saia da agitação master do milênio.


Viajei com duas das minhas manas (outra maninha já instalava na gringa) e uma galera que eu conheci por aquelas lados do estado mesmo. Fui obrigada a escutar Ivete Sangalo e um monte de outras coisas piores - tipo funk...um exercício de auto-controle.



A gente estava a 40 minutos da orgia de São Luis, a 3 da piscina arrasadora, e a 1 segundo de um ataque de nervos. Eu até gravei minha versão de Lucy inthe sky with diamonds com um levadinha jazz durante o transtorno. Um dia eu divulgo.

Conheci a teoria psicanalítica do ok e não ok, do sim sim não não..e mais um monte de toques que colocam o nosso pé no chão, esvaziam a cabeça de merda e enchem com um pouco menos de bobagem.



Presenciei uma das cenas de paixão e desespero mais lindas e que eu nunca poderia imaginar presenciar. Também não sabia muito como reagir, mas sobre dor no coração eu dou curso, então abracei e pulei o 'ôôô Barbosa' junto.



Relembrei todas as marchinhas que cantei por meses o ano passado. Aquelas que embalaram a bebedeiras e que neste carnaval tinham um gosto diferente do da novidade do ano passado. Admiração à festa colorida. Às pessoas que ficam fofas, àquela próposito sem propósito algum.


As fotos talvez expliquem um pouco, talvez não. Acho que só entende quem já foi.



Aguardo o próximo. Feliz Ano Novo (pq agora começou de verdade!)

ps. para mais fotos, visite flickr.com/mari_migliacci

4 comentários:

Andréa C disse...

Parece que foi bem divertido. Depois de um tempo longo demais tô começando a atualizar meu blog e (até que enfim) coloquei seu link. Pra onde foi o tempo de quando eu tinha tempo?
beijocas

rô disse...

No carnaval onde todos cantam "ninguém é de ninguém, mas todo mundo é de todo mundo no carnaval eeee" eu comecei 2008 de verdade! Na cidade onde tudo acontece nos quatro dias mágicos de festa, eu estava lá de novo e um montão de coisa maluca aconteceu. Mensagens, sinais, gente me abençoando em plena a multidão, a lição das diferenças e das sintonias... 363 dias para viver isso de novo!
E tem que ser com vc de novo, filhinha!! bjinho!

Dessa disse...

EEEEEEEEEEEee Goiás rs!
Não fui mas sou fã do pescoço da girafa! rs
Mto bom ver fotos e acima de tudo um outro olhar sobre esse carnaval (um dos 5 melhores do mundo segundo o NY Times).
Vou mandar seu link para os meus amigos verem. Bjãoooo

Tina disse...

Faltou eu, faltou eu!!!!!!!!!!!!!!!!!

OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO, filhas, saudade master de voces e do meu amorequinho!!!!

Aiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiai!

Amo!